Como funciona nosso cérebro? Somos competitivos mesmo?

campeao

Os mecanismos neurais do cérebro indicam que todos nós gostamos muito de ganhar seja uma competição, um simples jogo, ou uma discussão. A partir da vitória inicia-se o processo químico do prazer no cérebro. Vencer é sinônimo de sobrevivência. É passar a nossos genes a possibilidade de avançar para a próxima geração.

A derrota também é conhecida por todos e pode ser percebida em nosso cérebro e corpo (UCCM -unidade cérebro corpo e mente), como uma punição.

Para entender estes processos que são ativados antes da competição e na vitória o Dr. Timothy Vickery e seus colaboradores da Universidade de Yale (EUA), realizaram uma investigação com voluntários, durante rodadas de um jogo de tabuleiro.

Os jogadores voluntários tiveram seus cérebros monitorados através de ressonância magnética funcional (RMF). Toda vez que eles ganhavam recebiam uma recompensa financeira.

Toda vez que tinham sucesso na jogada / rodada, seus cérebros tinham seu “centro de recompensa” ativados (centro de recompensa = tronco cerebral na área tegmental ventral), onde é liberado  o neurotransmissor dopamina. A dopamina é conhecido como hormônio do prazer e dos atos de motivação. Essa liberação tem como  reação / recompensa  (assim que atinge a área do núcleo accumbers do cérebro)o riso, a sensação de prazer e satisfação

A análise mais ampla dos dados gerados pela MRI permitiu descobrir que não só o centro de recompensas do cérebro foi afetado pela atividade lúdica, mas que em quase todas as áreas do  cérebro foram visualizados os efeitos das vitórias e das derrotas. “Isso mostra que os circuitos de recompensa e punição, moduladores globais desempenham papéis em todo o cérebro”.

Quando ouvirmos a expressão: “O importante é competir e não vencer” teremos que repensar, pois a visualização do funcionamento do nosso cérebro demonstra que o importante é vencer.

martina

 

Quem disse que ganhar ou perder não importa, provavelmente perdeu.

 

Martina Navrátilová
ex-tenista Tcheca

Como demonstrou a pesquisa do Dr. Timothy, que o processo no centro de recompensa e prazer do cérebro é ativado no início das competições e nas vitórias, podemos utilizar esses resultados para treinar e capacitar os líderes e as equipes das empresas.

Liderança – As Lideranças que forem capazes de criar desafios possíveis e alcançáveis para suas equipes, junto  poderão promover motivação, colaboração,  integração e diversas outras competências que uma vitória no trabalho em equipe proporciona.Como demonstrou a pesquisa do Dr. Timothy, que o processo no centro de recompensa e prazer do cérebro é ativado no início das competições e nas vitórias, podemos utilizar esses resultados para treinar e capacitar os líderes e as equipes das empresas.

Vivências gamificadas e jogos – A utilização de ferramentas lúdicas como vivências gamificadas e jogos (desde que criados para as necessidades reais das equipes), alinhados com o dia a dia  permite que o processo químico do centro de recompensa do cérebro seja ativado durante todas as rodadas da vivência / jogo. Junto com essas atividades lúdicas que engajam de forma muito poderosa os participantes, também possibilita potencializar outras competências trazidas pelas vivências e gerar aprendizados significativos e memórias de longo prazo.

Team Building – Os team buldings também são formas de capacitar os líderes e equipes . Alinhados (assim como as vivências e jogos), com as necessidades reais das equipes, possibilitam criar desafios comuns criando cenários que permitam às equipes compartilharem e refletirem sobre a qualidade e os resultados obtidos e as formas que escolheram para chegar a esses resultados. Tudo isso num ambiente de descontração, integração, necessidade de planejamento e definição das melhores estratégias (individuais e de equipe).

A Interação Social é especialista em desenvolver vivências gamificadas, jogos, team buildings e treinamentos para desenvolvimento de competências comportamentais de líderes e equipes. Os cenários podem ser híbridos com técnicas de aprendizado gamificadas e conteúdos gerados pelos clientes, criando assim uma solução customizada. Consulte-nos. Será um prazer pensarmos juntos em soluções para suas necessidades.

Matéria adaptada com tradução livre de:
Timothy Vickers, Marvin Chun e Daeyeol Lee – Universidade de Yale (EUA).
Dr. Nse. Carlos Logatt Grabner

Norimar José Tolotto
norimar@interacaosocial.com.br
Interação Social Desenvolvimento Humano