Quando ajudamos as pessoas, também estamos beneficiando a nós mesmos

Quando ajudamos outras pessoas, nós também nos beneficiamos pois, as regiões de recompensa de nossos cérebros são ativadas extremamente.

Antigamente considerava-se que o benefício de ajudar as pessoas se encontrava na reciprocidade de quando estivermos necessitados de ajuda, eles devolveriam o favor. Novas investigações da neurociência, mostraram que o benefício a quem ajuda alguém é imediato (em nosso corpo, cérebro e mente), impactando positivamente em nossa saúde e estado emocional.

Investigadores da Universidade da Califórnia (UCLA), liderados por Naomi Eisenberger, diretora do laboratório de Neurociência Afetiva e Social, estudaram as atividades dos cérebros de um grupo de voluntários em determinadas situações que permitiam que as mulheres pudessem ajudar seus maridos e em outras situações não era permitido ajudar, enquanto os maridos recebiam pequenos mas, irritantes choques elétricos.

Durante este experimento o cérebro das mulheres foi monitorado e em todas foi apresentado um notável aumento de atividade no núcleo accumbens e na área septal do cérebro, quando podiam ajudar seus maridos simplesmente estendendo o braço e também recebendo os pequenos choques elétricos. Quando não podiam ajudar estas regiões reduziam suas atividades.

O núcleo accumbens é a área do cérebro que se ativa normalmente diante de comida, sexo, experiências gratificantes, condutas motivadas, vícios, etc, ou seja essa área é ativada mediante sensações relacionadas com prazer. O fato de se ativar indica que é uma experiência muito prazerosa.

A área septal, também é um centro de prazer porém, que se ativa através da função reguladora do estresse, (ou seja prazer pela redução do estresse).

ajudar pessoasNosso instinto de grupo, sempre foi sinônimo de garantia de sobrevivência de nossa espécie e sem dúvidas dar apoio aos maridos, mulheres, filhos e demais membros de nossos grupos, aumentaram nossas possibilidades de sobrevivência.

Consideramos que conhecer esse funcionamento de nosso cérebro que está em nosso código genético, que ajudar as pessoas nos dá prazer e reduz o estresse, deveríamos traçar planos para colocar em prática diariamente momentos para ajudar, ouvir com atenção e compartilhar momentos com pessoas queridas. Isso trará mais felicidades a nós e as pessoas de nosso convívio e estaremos enriquecendo e nos educando mutuamente para aprender a desfrutar o valor e a importância do altruísmo. Nossos cérebros serão banhados de serotonina (“hormônio da felicidade”), o que irá reforçar a vontade de querer repetir e repetir, tornando assim nosso mundo um pouco melhor a cada dia.

Nse. Marita Castro – Directora Asociación Educar

Adaptação e tradução: Norimar José Tolotto

Texto original: Cuando ayudamos a los otros, también nos beneficiamos a nosotros mismos Artículos y Conferencias – Asociacion Educar